segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Verdurada de Janeiro


Segue abaixo o release que me foi enviado pela Assessoria de Imprensa do Coletivo Verdurada.

Quando: Sábado, 29/01/2011 e Domingo, 30/01/2011
Horário: 16hs às 22hs
Quanto: R$ 10,00
Onde: Rua Nestor Pestana, 189, Centro (A uma quadra da Praça Roosevelt – entre Rua Augusta e Rua da Consolação – 5 minutos a pé dos metrôs República e Anhangabaú)

- Jantar VEGetariANO grátis e venda de material independente.
- Por favor, sem cigarros e sem álcool.

Contatos com a imprensa:
Favor mandar um e-mail para André Mesquita: xdedex@hotmail.com

Internet:
http://www.verdurada.org/
http://www.myspace.com/verdurada
verdurada@riseup.net

A VOLTA DO FESTIVAL

Depois de dois anos apenas com Verduradas simples de um dia, decidimos comemorar a chegada do ano novo trazendo de volta os tradicionais Festivais Hardcore de dois dias que costumavam acontecer em todo mês de janeiro.
Além de oferecer atrações em dobro, os festivais são uma oportunidade perfeita para viajantes a procura de momentos memoráveis ao lado de outros hardcoreanos dos quatro cantos do Brasil e do mundo. Por este motivo, entre outros, convidamos duas atrações interestaduais de peso para serem headliners desta edição.
Velhos parceiros da Verdurada, Violator e Confronto são exemplos de como crescer no underground do jeito certo, fiéis aos princípios de independência e crítica que representam o que o hardcore tem de melhor e de mais aplicável nas vidas de todos nós.

SOBRE O PREÇO DO INGRESSO
Infelizmente, circunstâncias além do nosso controle nos obrigaram a subir o preço do ingresso para R$ 10,00. Desde a última vez em que isso aconteceu, a inflação subiu e com ela subiram consideravelmente os custos da Verdurada. Isso inclui passagens, gasolina, aluguel do local, som e outras despesas.
Assim, a única outra opção seria não trazer bandas de fora de São Paulo e comprometer a qualidade do evento de maneira geral. Entendemos que dois reais a mais é um preço barato a se pagar para que a Verdurada continue a rolar tão bem como sempre. E em comparação com eventos semelhantes, continuamos cobrando menos e oferecendo mais.
Onde mais você pode, hoje em dia, por dez míseros tostões, passar o dia ao lado de pessoas interessantes vendo grandes bandas do hardcore brasileiro e internacional e no final, como se não bastasse, jantando de graça?

PROGRAMAÇÃO
SÁBADO - 29/01

Violator

Depois de bombardear a América Latina, Europa e Japão, os guerreiros candangos voltam à Verdurada trazendo na sacola o já clássico último álbum “Annihilation Process”. Sem dúvida, são os pontas de lança do cenário thrash metal brasileiro e uma das principais bandas do gênero surgidas no mundo nas últimas duas décadas. E como se não fosse bom o suficiente, totalmente comprometidos com idéias espertas e valores faça-você-mesmo.
http://www.myspace.com/viothrash

Sweet Suburbia

A banda sete-sete favorita de todos nós também faz seu retorno triunfante aos palcos da Verdurada apresentando o novo baterista e o repertório que fará parte do aguardado segundo disco. Quem nunca viu se prepare para a cantoria coletiva dos refrões mais grudentos do cenário punk nacional.
http://www.myspace.com/sweetsuburbia

Jah-Hell Kick

Diretamente da zona sul e contando com o mesmo frontman de lendas do hardcore sXe paulistano como Positive Minds, Self Conviction e Rethink o Jah-Hell Kick finalmente estreará na Verdurada seu hardcore clássico misturando o que havia de mais melódico no hardcore americano da década de oitenta e no street punk britânico, como se Dag Nasty e CockSParrer tivessem uma cria brasileira.
http://www.myspace.com/jahhellkick

Western Day

Mais uma banda fazendo sua estréia nos palcos do evento após impressionar o público em shows ao lado de gigantes como Napalm Death e D.E.R. A maior revelação do grindcore nacional nos últimos anos traz sangue novo ao gênero acrescentando técnica e inventividade à brutalidade característica. Para quem curte destruir os ouvidos exercitando o cérebro.
http://www.myspace.com/westernday

Homem Elefante

Abrindo o festival teremos estre quarteto que une as localidades improváveis de Osasco e Volta Redonda num programa caótico misturando a discordância das velhas bandas da SST à sujeira do Born Against e a energia do hardcore clássico vinda de quem toca e já tocou em bandas como Alarme e Deaf Kids. Aguardem uma apresentação intensa!
http://www.myspace.com/homemelefante83

Palestra/Debate - CICAS

Para o primeiro dia do festival, convidamos os integrantes do Centro Independente de Cultura Alternativa e Social, o CICAS, um espaço comunitário localizado na Zona Norte de São Paulo, para falar de suas experiências. Abandonado há anos, um coletivo recuperou um galpão que antes servia de depósito de lixo, ponto de prostituição e uso de drogas e o transformou em um local onde os moradores da região têm acesso a oficinas, música, exposições, teatro, cinema e biblioteca. Há alguns meses, o espaço sofreu uma violenta ameaça de despejo pelo poder público, o que gerou uma mobilização de outros grupos, pessoas e comunidades que apóiam a resistência de iniciativas culturais faça-você-mesmo.
http://projetocicas.blogspot.com/

DOMINGO – 30/01

Confronto

Dificilmente nesta altura do campeonato existe alguém no público da Verdurada que não conhece o Confronto, certamente uma das nossas “bandas da casa”. Ainda assim, é melhor chover no molhado do que não citar a banda que melhor une estética e sonoridade vindas do death metal à política e o carisma provenientes do hardcore e da realidade da periferia carioca. Preparem-se para mais uma noite de rodas épicas proporcionadas pelos imperadores do metal mosh straightedge nacional. Há exatos 10 anos, a banda tocou pela primeira vez na Verdurada, e vai comemorar com esse show!
http://www.myspace.com/confronto

La Revancha

Depois de estraçalhar todos os presentes e lotar a casa em seu show de reunião ocorrido há alguns meses, o La Revancha resolveu retomar as atividades para felicidade dos entusiastas do mais power violence/thrashcore de primeira qualidade executado por integrantes de favoritas do público como D.E.R., Still Strong, I Shot Cyrus e Nerds Attack.
http://www.myspace.com/larevancha

Futuro

A banda conhecida anteriormente como B.U.S.H. toca na Verdurada novamente após mais de três anos e pela primeira vez com o novo nome. Com dois álbuns, três Eps e uma turnê européia nas costas e integrandes de grupos como I Shot Cyrus, O Inimigo, Speed Kills e Ordinária Hit, aproveitam o evento para lançar seu terceiro disco “MMX” e brindar a platéia com sua mistura de hardcore americano do início dos anos 80, punk/pós-punk da década de 70 e fortes pitadas de garage/psicodelia.
http://www.myspace.com/bushklan

Against All My Fears

Diretamente de Santiago, Chile a atração internacional desta edição é o Against All My Fears. Fortemente influenciados pelo hardcore sXe clássico da década de 90, a banda é um dos principais representantes da renovação que o estilo tem tido na América do Sul. Fãs de Outspoken, Snapcase, Abhinanda, Refused e afins, vejam o hardcore new school soando novo novamente.
http://www.myspace.com/againstallmyfuckingfears

Final Round

Abrindo o segundo dia do festival teremos a banda que tem encabeçado a renovação do hardcore old school brasileiro, com seu som poderoso e positivo inspirado nos velhos tempos do youth crew e NYHC de bandas como Judge, Youth Of Today, Breakdown, Straight Ahead e afins. Parafraseando um release recente, “Hardcore ultra ortodoxo crucial, sujo e malvado sem metal nem melodia.”
http://www.myspace.com/finalxround

Palestra/Debate - Pedalinas

Para o domingo, teremos uma conversa com as Pedalinas, um coletivo feminista de ciclistas que não vem apenas reivindicar o uso da bicicleta como meio de transporte sustentável em uma cidade excessivamente motorizada como São Paulo, mas também questionar as razões dos homens ainda dominarem os pedais. Para o grupo, “ser ‘Pedalina’ é mostrar que nem ser mulher e nem andar de bicicleta são sinônimos de fragilidade, mas é mostrar que há diferenças e precisamos saber lidar com elas, conhecendo, respeitando e integrando”.
http://pedalinas.wordpress.com/

SOBRE OS INGRESSOS

São Paulo (Capital):

Os ingressos estão à venda nos seguintes locais:
Loja Vegan Pride: Rua 24 de Maio, 62 - Loja 424 (Galeria do Rock).
The Records – Rua Barão de Itapetininga, 37, loja 43 - Rua Alta (Galeria Nova Barão).

Outras Cidades e Estados:

Envie um e-mail para verdurada@riseup.net (não faça pedidos através do site da Verdurada, Orkut ou MySpace), informando nome completo, RG, cidade/estado. A retirada do ingresso será no dia do show. Os ingressos não retirados serão vendidos na portaria.

O QUE MAIS?

1- Por favor, sem álcool, drogas ou cigarro dentro do local do evento.
2- Nada de alimentos que contenham produtos de origem animal.
3- Banquinhas de livros, cds, fanzines e material independente e divergente a preços populares, mesmo!
4- Venda de comida vegetariana, desde hambúrgueres, coxinhas, kibes, até bolos, tortas, bombons.
5- Os shows acabarão antes das onze e meia da noite, para que os espectadores possam se valer do sistema público de transporte.
6- Todo o dinheiro arrecadado com os ingressos será utilizado para pagar as despesas com o evento (transporte das bandas, locação do espaço, divulgação, locação da aparelhagem de som e luz).
7- Uma parte do dinheiro dos ingressos será utilizada em campanhas públicas de assuntos ligados aos interesses do Coletivo Verdurada, como vegetarianismo ético, práticas de democracia direta, questões políticas e sociais.

O QUE É A VERDURADA?

O Coletivo Verdurada é o responsável pela organização do evento realizado em São Paulo desde 1996. Ele consiste na apresentação de banda (especialmente de hardcore, mas o palco é aberto a outros gêneros) e palestras sobre assuntos políticos, além de oficinas, debates, exposição de vídeos e de arte de conteúdo político e divergente. No final é distribuído um jantar totalmente vegetariano.
Este é o mais antigo e talvez o mais importante evento do calendário faça-você-mesmo brasileiro. Isso quer dizer que a organização é totalmente feita pela própria comunidade hardcore-punk-straightedge de São Paulo, que se encarrega tanto do contato com as bandas e palestrantes, quanto da locação do espaço, contratação das equipes de som e divulgação. Tudo sem fins lucrativos ou patrocínios de empresas. A renda é destinada a cobrir os custos e colaborar com atividades e iniciativas realizadas, ou apoiadas pelo coletivo.
Os objetivos de quem organiza a verdurada são basicamente dois: mostrar que se pode fazer com sucesso eventos sem o patrocínio de grandes empresas e sem divulgação paga na mídia e levar até o público a música feita pela juventude e as idéias e opiniões de pensadores e ativistas divergentes.

Coletivo Verdurada

domingo, 26 de dezembro de 2010

Banda Tame Impala


Todo ano aparecem bandas novas e interessantes, em 2010 o destaque vem lá da Austrália e atende pelo nome de Tame Impala.Eles fazem um garage rock psicodélico misturando de maneira paradoxal elementos como, vocais suaves e guitarras cruas .O som é simplesmente delirante e os vídeos da banda reforçam essa ideia."Lucidity", por exemplo, tem exibição regular na MTV Brasil.
A banda laçou seu primeiro albúm, Innerspeaker, no meio deste ano e já recebeu muitos elogios da crítica.Também já abriram o show de bandas grandes como Muse, The Mars Volta e Kasabian.
Em 2011 o Foo Fighters volta oficialmente aos palcos, e quem abre essa apresentação, em Londres, é justamente o Tame Impala.

A capa retrata bem o clima das músicas



Integrantes: Kevin Parker (guitarra/voz), Dominic Simper (baixo), Jay Watson (bateria), Nick Allbrook (guitarra/teclado).

Dá para ouvir o Innerspeaker inteiro na Radio Uol

Visite também: myspace.com/tameimpala                     

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Burningangel.com !

O site tem como base a filosofia do faça você mesmo, consequentemente, abrange as subculturas punk, indie, gótica, geek, emo e etc.Isso, de forma bem resumida chama-se Alt porn.Uma das características fundamentais do gênero são as garotas "comuns" ligadas a cena underground que aparencem nas fotos e vídeos.





Joanna Angel: atriz, modelo, diretora e dona da Burning Angel
  

Misti
  
Chelsea

Adahlia

Krysta Kaos


Elena Bathory


Indigo
Visite também: xplastic.net (altporn Brasil) 
                       altporn.net (portal completo)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Arcade Fire e Foo Foo Fighters no Brasil

Não é costume deste blog copiar e colar notícias de outros sites, mas neste caso, é inevitável.
Saiuesta tarde no blog Popload que as duas bandas estão paraticamnete confirmadas no Brasil.



O Arcade Fire é atração quase certa do Rock in Rio 2011, as negociações acontecem desde setembro deste ano.Depois do lançamento do disco The Suburbs (2010) os canadences são apontados como a nova melhor banda do mundo, assumindo o posto do Radiohead.




Já o Foo Fighters era disputado pelo Rock in Rio e SWU, mas parece que os dois perderam, provávelmente a banda se apresenta em abril.
Show em festival, setembro, outubro, ou show solo, não dá pra prever, mas é certo que estas duas bandas, e várias outras, tocam no Brasil em 2011.

Já estou economizando $$$ !

sábado, 4 de dezembro de 2010

Rasgada Coletiva vem para democratizar produção cultural sorocabana

Fotos: Kim Hanneman http://www.flickr.com/photos/viriondeltav

Instalada próxima ao centro da cidade, casa abre espaço para teatro, exposição, música e toda forma de expressão artística da região.


Se você pensa que Sorocaba esta defasada de lugares interessantes que possam agradar ao público que gosta de arte e música de boa qualidade, está muito enganado.
O Rasgada Coletiva é um ambiente muito agradável, uma casa com a essência de uma república estudantil que oferece ao público, todas as segundas-feiras, o Carne de Segunda, evento que reúne artistas em apresentações de diversos estilos e gêneros.
Logo na entrada, esbarra-se (literalmente) em uma cômoda repleta de clássicos literários de vários gêneros, onde encontramos de Nietzche à poesias de Manuel Bandeira, além de sucessos pop do contraculturismo. Há também,em estande, DVDs e revistas que marcaram época, sobretudo, por seu teor contestador. E o melhor: tudo disponível para locação gratuita, advertido apenas pelo singelo e justo pedido de, havendo o locatário obras paradas em sua casa,disponibilizá-las também no seleto acervo, possibilitando o acesso de todos os frequentadores.



A primeira impressão que se tem do lugar é que ele parece buscar a expressão da arte em seu estado mais espontâneo, orgânico, partindo do pressuposto de que todas as pessoas são naturalmente artistas e tem algo a oferecer, ou melhor, compartilhar.Prova disso é que, com uma sem-cerimônia louvável , a casa resgata as formas clássicas de expressão das assépticas e politicamente corretas galerias de arte convencionais e as joga em todo canto: poesias colaborativas improvisadamente rabiscadas no azulejo; desenhos e pinturas misturando-se à citações e frases provocativas, e tudo anarquicamente "cuspido" nas paredes, onde filmes, gravações independentes e clipes são incessantemente projetados num telão.



O Rasgada Coletiva, frequentado essencialmente por estudantes, poetas, músicos e pessoas envolvidas com teatro e cultura geral de nossa cidade,vem se consolidando como uma espécie de buncker artístico-cultural instalado nas proximidades do centro da cidade, e cada detalhe do lugar parece se convergir para formar um espaço livre, autêntico, provocando reações diversas a cada observada mais minuciosa.



A principal razão de existência do local que é "fundamentada na ideologia do trabalho colaborativo e em uma posição menos corporativista, voltada muito mais à força de trabalho que no capital. O foco é a fomentação e escoamento cultural na cidade de Sorocaba, na democratização nas formas de produção cultural"- segundo seus fundadores - é abrir espaço para exposições de arte, recitações, encenações teatrais, apresentações de bandas e outras formas de expressão artística desenvolvidas, principalmente, por artistas sorocabanos e da região. Cedendo, democraticamente, espaço a todos de se manifestarem.
Marco Antonio Ruiz Junior, um dos moradores da sede do Rasgada, disse que o ambiente é sim de uma república, porém, lá não moram estudantes, e sim pessoas interessadas em divulgar a música e a arte de uma maneira diferenciada.
Outro projeto muito válido, que vai além dos cômodos da casa 117 da Rua Carlos José Nardi, é o Guerrilha Gerador. Este promove, até onde as intervenções policiais permitem, shows em locais públicos. “O Guerrilha já rolou umas 30 vezes, somente em três tiveram intervenção policial, duas vezes em Sorocaba e uma em Mogi Mirim”, conta Marco.

Agenda:

Para a próxima segunda, dia 29/11, a banda Vivant já está confirmada. Na segunda-feira seguinte, é a vez da banda Volpina se apresentar. O Rasgada Coletiva fica na rua José Carlos Nardi, n°117, bairro Santa Terezinha. A entrada é gratuita. Vale a pena conferir!